A retomada

05/03/2010 - Leave a Response

Até que enfim consigo voltar a escrever! Fim de ano tive muitas viagens, começo de ano mais viagens e agora no carnaval mais um monte delas. Como dizem, o ano só começa depois do carnaval e tá tudo certo. E por falar nisso desejo que todos tenham um ano bem produtivo e sustentável.

Não vou falar muito sobre a dieta por que amanhã (dia 05/03), começarei pela segunda vez e contarei como num diário ao fim de cada post, e o mais importante pra quem se interessa pelo assunto é mesmo comprar o livro e ter pro resto da vida. Posso dizer que fazendo a dieta perdi 8 quilos em 12 dias (os magrinhos não precisam ter medo por que só perde quem tem algo a perder), desinchei muito, aprendi a me alimentar melhor e procurei outras fontes para fortalecer minhas pesquisas. Citei Conceição Trucom e aconselho o livro entitulado “Alimentação Desintoxicante”, que logo em breve entrará em pauta por aqui.

Estou ansioso mesmo pra contar sobre a bela viagem que fiz pelo sul de Minas Gerais no início do ano. Foi incrível! Trago boas lembranças e sabores ainda vívidos. Essa é a terceira vez que vou a convite da Paiol, loja de artesanato e moda do meu querido Lucas Lassen, para rastrearmos artesãos por várias cidadezinhas e vilarejos dias a fio. São viagens muito ricas em significado, sempre trazendo conhecimentos valiosos e sabores inevitavelmente obesos. Sabores que só combinam com fartura. Comilança pesada! Sempre troco uma idéia com cozinheiros e cozinheiras mineiros. Amadores ou profissionais, eles me emocionam. É sempre bom ficar conversando com a esposa do artesão enquanto Lucas efetua as compras. Já experimentei delícias desse povo maravilhoso e quero falar um pouco disso e mostrar fotos e dividir isso com o mundo.

Todas as vezes ficamos hospedados em Tiradentes, uma delícia de cidade que é a mais bem servida dos arredores nos quesitos gastronomia e hospedagem.  Por ser uma cidade tão turística ainda deixa a desejar. Existe um grande número de restaurantes mas poucos são realmente eficientes em todos os aspectos. O atendimento é quase sempre insatisfatório e eles parecem não estar ligando muito pra isso. A praça principal da cidade está cercada de bares e restaurantes inexpressivos. E ainda digo uma coisa, é sempre bom levar um cartão telefônico da sua cidade por que lá é a coisa mais difícil de se encontrar. Se houver um probleminha com seu sinal de celular, se deu mau!

Agora vamos ao que interessa, pois o intuito aqui é falar do que há de bom, e lá quando é bom, é bom mesmo! Quando, ao passarmos da divisa adentramos o estado, já começamos a encontrar placas que anunciam queijos, doces, pimentas, uma infinidade de maravilhas e um tal dum sanduíche de linguiça que é uma perdição. Não sou chegado numa linguicinha, mas esses sanduíches são realmente deliciosos. Com queijo então… Aí a pessoa vai seguindo e pára pra fazer xixi e já compra outra guloseima e segue em frente, e pára e come, e segue, e vai comendo no carro, e pára em alguma farmácia pra comprar um sonrisal que depois disso tudo ingerido a asia decorrente da má digestão ataca, e vai indo em frente… É de uma insanidade que você não se reconhece. Todo mundo come mais do que está acostumado. Tanto é que eu estava magérrimo depois da desintoxicação e Minas foi o meu descaminho. Sempre será. Minas e Nordeste são sinônimos de obesidade das boas. Tradição é tradição! Dei minhas mastigadas em Tiradentes, Bichinho, São João Del Rey, Santa Cruz de Minas, Prados, Resende Costa e cidades que não lembro os nomes, na beira da estrada. Na maioria das vezes fiquei bem feliz.

Começo agora uma série Minas Gerais que durará alguns posts e do dia 05/03 ao dia 26/03 o diário da desintoxicação. Dá até um frio na barriga pensar que enfrentarei esse processo. Ai ai!

Sobre a Paiol

A Paiol é uma loja de artesanato e moda que se localiza na rua Frei Caneca, uma das ruas mais cosmopolitas do Brasil, em São Paulo. O grande diferencial da loja é a seleção compromissada com a qual Lucas lida na escolha dos produtos. De tempos em tempos, com as viagens aos núcleos de artesanato e (cada vez mais) arte popular, a loja dá um salto qualitativo. É engraçado observar as pessoas quando entram. Parece que viram criança devido ao universo lúdico que se formou. Em relação à moda, aconselho muito. Homens e mulheres fazem a festa comprando roupas super estilosas a preços bem interessantes. Quem mora em São Paulo ou está vindo passear tem que dar uma passada lá pra dar uma levantada no seu visual ou no da sua casa. Ah, é incrível pra comprar presentes. Confiram!

Rua Frei Caneca, nº911- Consolação

Fone: (11) 3554-3553

Anúncios

processando a desintoxicação

18/12/2009 - 3 Respostas

Tentei muito desviar desse assunto pelo menos agora no começo do blog mas seria falso, não teria a verdadeira essência do que tenho buscado como pesquisa e prática recentemente. Tentei desviar por saber que existem assuntos e abordagens bem mais saborosos, envolventes e inocentemente leves, principalmente por atrelarmos gastronomia aos prazeres estético, gustativo e entorpecente. Mas não devemos comer com ingenuidade a vida inteira, colocando os alimentos aleatoriamente pra dentro e servindo de vítimas da indústria alimentícia. Chega uma hora que precisamos discernir. A comilança pode ser mais consciente.

Em 2006 uma grande amiga me emprestou um livro que eu li e achei muito interessante, mas não me conectei de alma. A amiga se chama Rosana e o livro “Deixa Sair” da autoria de um ser sábio chamado Sônia Hirsch. Há mais ou menos um mês e meio, motivado pela necessidade louca de eliminar a gordura excedente, pensei em fazer uma dieta. A primeira que veio à mente foi justamente a dieta de desintoxicação “Deixa Sair”, pois mesmo não tendo me tocado profundamente tinha a lembrança de ser algo consistentemente fundamentado. Estaria perdendo peso, me nutrindo e eliminando toxinas simultaneamente. Não tive dúvida. Corri até a livraria Cultura e comprei por irrisórios 30 reais o passaporte para uma nova consciência. 

Vivemos uma vida completamente intoxicante. Alimentos industrializados, laticínios, carne vermelha, frango com hormônio, frutas e vegetais com agrotóxicos, bebidas alcoólicas, entre outros, são grandes responsáveis pelo bloqueio parcial ou total dos órgãos excretores, os tais órgãos que se encarregam de higienizar nosso organismo varrendo as toxinas. São eles: o fígado, os rins, a pele, os pulmões e os intestinos. Fatores não alimentares também são vilões como a poluição ambiental, os produtos químicos que usamos diariamente na limpeza da casa, na higiene pessoal, os medicamentos da alopatia, os ruídos das grandes cidades e, acreditem, as emoções. Tudo isso é possível de ser expurgado através de um verdadeiro ritual. Existem técnicas chinesas, hindus, africanas, indígenas, religiosas e por aí vai. 

Não é tarefa fácil reconhecer tudo isso e de uma hora pra outra internalizar hábitos desintoxicantes, mas também não é nenhum bicho de sete cabeças. A informação é a maior aliada desse desafio. A partir do momento que sentimos a necessidade de entrar numa sintonia fina com o nosso organismo e temos uma boa noção da ação dos alimentos e dos fatores externos, temos meio caminho andado. Somos inteiramente preparados para eliminar as toxinas, basta ajudarmos com sabedoria. 

Para haver a desintoxicação, o organismo precisa de descanso e alimentos extremamente leves e saudáveis. O jejum matinal é quase que unânime. Sônia Hirsh aconselha chá dente de leão ou o polêmico caldo de rã (polêmico por puro preconceito, é maravilhoso!). O caldinho de rã com uma gota de shoyu e limão em jejum ativa o sistema imunológico e rejuvenesce, um precioso e milenar alimento medicinal do oriente. Os sucos desintoxicantes são opções saudáveis, práticas, baratas e muitos são bastante saborosos. Na “Deixa Sair” não entram os sucos, aliás fruta nenhuma além do saudabilíssimo limão. É uma dieta muito severa. Mas não podemos esperar moleza de um processo que em 21 dias limpa completamente o sangue, o sistema digestório (da língua ao ânus) e todo o sistema respiratório. É incrível quando, na segunda semana, você expele todo o muco velho e nojento que se criou ao longo da vida por toda a lactose ingerida até o momento. É, temos coisas guardadas que até o diabo duvida. Como diria a fantástica Hirsch, o muco nas vias aéreas só serve de “pista de patinação” para os bichinhos microscópicos bailarem detonando com a nossa saúde. Um organismo sem muco estagnado não constitui um ambiente favorável à proliferação e manutenção da vida microscópica que nos mata pouco a pouco. Quando li e imaginei essa patinação amaldiçoada dentro de mim, repensei a lactose na minha alimentação. Eu? Com os bichinhos arrasando dentro de mim? Que horror! O maior responsável pela expulsão do muco velho é o chá de raiz de lótus, o único líquido a ser ingerido na segunda semana, não podendo beber nem água, pois qualquer outro líquido anula seu efeito. É aí que o bicho pega! Num é fácil não, rapaz. Uma semana inteira sem, ao menos, uma aguinha. Mas repito, não é tão difícil também não. Força! Controlar a vontade fortifica, enobrece e emagrece. Ceder enfraquece, empobrece intoxica e engorda. 

No próximo post irei descrever a dieta mais detalhadamente, contar a minha experiência e o pós dieta, meus sucessos e fracassos, confessar que não fui até o fim (pronto, falei!), mas estou firme e forte na desintoxicação diária. Como já diz no título, estou ainda processando tudo isso, completamente determinado. Falarei também de uma nova fonte de conhecimento e inspiração na minha vida chamada Conceição Trucom, que de truque não tem nada, muito pelo contrário, uma bacharel em química que foi além e nos trouxe com generosidade sua rica bagagem, dividindo luz. Por fim, darei a receita do exótico caldo de rã pra todo mundo ficar imune, rejuvenescido e lindo! 

Valeu!

comilança

03/12/2009 - 5 Respostas
 

Um ato tão digno e quente que constrói e restaura o indivíduo parece um bom universo a ser desbravado. Não importa o conhecimento que tenhamos acerca, o humano sempre terá que resolver sua alimentação. O ato de comer é uma das maiores invariáveis que nos torna semelhantes (ou seria uma das melhores?). Acusa-se de pecado o ato compulsivo. Comer compulsivamente às vezes é uma delícia, mesmo não sendo uma  prática  inteligente. Incita-se o tempo todo a consumação do pecado. Desde sempre! O que são essas festas tradicionais de natal e blábláblá que temos até hoje? E esses casamentos que preparam toneladas de comida e muuuuita bebida alcoólica também? E as pessoas já sabem que vão arrasar de comer e beber e se preparam pra isso. E as orgias gastronômicas na antiguidade? Ai ai… comida boa é bom demais! Comida boa e simples é uma delícia. Comida boa e mais sofisticada é uma delícia. Comida boa e finíssima é uma delícia. Comida ruim em qualquer um ítem da escala é péssimo! 

O fato de termos desenvolvido técnicas e máquinas que resolvem a conservação e o armazenamento de comida, nos rende tempo livre para cuidarmos de todo o resto. Sendo o homem diferenciado das outras espécies principalmente pelo poder do trabalho, deduz-se que a alimentação teve papel fundamental no processo de hominização.

Muitos querem mas não conseguem comer por pobreza,  tristeza, fraqueza ou beleza. Menininhas querendo ficar belas se privam do tão proibido ato e até se tornam bulímicas. Indivíduos na mais baixa linha de pobreza lhes tem o ato proibido. O casamento desfeito causa fastio na moça frágil… Comendo: engordamos, emagrecemos, nos fortalecemos, adoecemos, nos curamos, matamos fome, nos consolamos, seduzimos e somos seduzidos, lucramos, gastamos, nos embelezamos etc.. Mais cedo ou mais tarde cai sobre o indivíduo o peso do que ingere. As consequências são inevitáveis. A conscientização de que se deve ter uma alimentação mais claramente nutritiva e que não deixe resquícios no estômago nem no intestino e tampouco se transforme em gordura ou muco é algo realmente necessário para que haja uma real triagem do que levamos boca adentro, permitindo que tais substâncias entrem em contato com o nosso mais íntimo “eu”, que apresentará resultado, por vezes imediato, na pele, olhos, hálito, cabelos, medidas, cefaléias, caspas e até hemorróidas.  Os suplementos vitamínicos e minerais são completamente desnecessários se a dieta for naturalmente rica. Os alimentos integrais são maravilhosos por nutrirem sem deixar vestígios de sua passagem, contribuindo ainda para arrastar aquela farinha de trigo branca que insistiu em se alojar em alguma partezinha do seu organismo.

Mas comer bem não é só comer dentro de padrões saudáveis. Não podemos maltratar os sentidos nos privando sempre daquele prato ou lanche ou sei lá o que que independentemente do valor nutricional eleva o paladar ao patamar dos mais mágicos sonhos… Comer bem é aproveitar aquelas bananas que já estão para apodrecer mas ainda não estragaram e fazer um elástico doce caseiro de banana. O açúcar, ingrediente fundamental para este preparo, pode trazer várias doenças além de causar vício e ainda assim come-se bem se presenteando com um elástico doce caseiro de banana. 

Comer é tão complexo e ao mesmo tempo naturalmente simples e envolvente que mereceu esse espaço na minha vida e venho dividir com todos as minhas experiências, dar informações, depoimentos e dicas, deixando também um espaço aberto para quem quiser trazer informações e comentários que possam engrandecer o nosso blog. Espero que gostem! 

Grande abraço!